Eis o resultado das interpelações feitas a alguns dos seus tripulantes e passageiros. As respostas é que não cabem na cabeça de ninguém!

Quinta-feira, 23 de Dezembro de 2010

Andava eu de dedo entrapado (por causa da bicada da arara do Turner, com quem tive a última conversa) quando, devido à minha gaguez de infância, optei por ter umas sessões com Yao Ming, que é um dos terapeutas da fala da Nave dos Loucos. E para ele poder aperceber-se de até onde ia a minha disfunção, atirei-lhe uma pergunta: “És capaz de me explicar o que é que é, afinal, a liberdade?” Ele, sem fazer referência ao tempo que eu levei a dizer tão poucas palavras, respondeu, pausada e claramente:

 

 

 

Yao Ming no relax

 

 

Sobre isso havia muito que dizer. O mais importante, porém, é que a verdadeira liberdade não é ires aonde te apetece; a verdadeira liberdade é não teres vínculos de espécie nenhuma, nem sequer com o Deus. Tu não estás aqui para criar vínculos; estás aqui para recuperar a noção de que és uma “partícula” de Deus! Se achas que tens um vínculo com Deus, é porque não O tens sobre o teu altar interno. Se tivesses, não terias essa noção de vínculo; em vez disso, terias uma clara consciência de Quem és. Ou seja, a partir do momento em que considerares Deus internamente, o vínculo passa a ser contigo mesmo. Com quem havia de ser? A partir desse dia, começarás a ver os outros como criaturas que também poderiam ter um vínculo com eles mesmos. Com quem havia de ser? Mas não tardarás a dares-te conta que a maioria, infelizmente, não o tem. Têm um vínculo mas é com a parceria dos seus sonhos, que não há meio de encontrarem! Mas tu compreendes como as pessoas estão condicionadas por toda a sorte de “programações”, que nada têm a ver com o que elas realmente são. E, ao compreenderes, não criticas nem gozas com elas; sorris amorosamente e com compaixão, porque o que está exposto no teu altar interno impede que lhes apontes o dedo.

 

Aleluia! Finalmente, uma pessoa que diz “Deus” em vez de “Espírito”! Foi muito encorajador. Contudo, quando acabou aquela primeira sessão com o terapeuta da fala, fui para o meu beliche a pensar como é que raio se põe Deus seja onde for! Então ele não está em toda a parte?

publicado por Gerador de posts às 08:49

De Ana Martins a 26 de Dezembro de 2010 às 01:28
Boa noite!

Também Yao Ming me fez voltar ao metro, onde encontrei Deus pela 1ª vez, ora se bem me lembro, na altura foi assim que o encontrei, a pensar que ele estava em toda a parte. Logo, teria de estar ali comigo e veja lá que não é que me senti mesmo comigo/ele. Agora passados estes anos, a maior parte deles a marcar passo, aparece o Yao a dizer -lhe estas coisas...Bem o que vale é que, definitivamente assumo-me a bordo d'A Nave dos Loucos.

De maria carolina lobo a 28 de Dezembro de 2010 às 15:27
Deus está em cada um de nós.Somos parte de um todo irmãos das estrelas ,das plantas e de toda a existência.Ao quebrarmos o equilibrio entramos em conflito e sentimo--nos profundamente desorientados por isso.Manter o rumo certo não é fácil e faz parte da nossa condição de caminhantes em busca da harmonia.


mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
17
18

19
20
22
24
25

26
27
29
30
31


comentários recentes
Com muita pena nossa :(
Esta resposta veio mesmo na altura em que eu preci...
Onde ele atende? Vc pode me passar os contatos del...
Na vida está tudo certo.Sinto-me grato e feliz, po...
"Aliás, não voltarei a fazer perguntas seja a quem...
Tão engraçado...na minha meditação de segunda feir...
Muito bem, por esta não estava à espera, pelo meno...
Ora até que enfim que o 'louco' virou 'sábio'. O s...
Maravilhosos os textos colocados... pela forma des...
Deus está em cada um de nós.Somos parte de um todo...
arquivos

blogs SAPO


Universidade de Aveiro